Francilene Sales da Conceição e Ricardo Gilson da Costa Silva

O GTGA compartilha o artigo dos pesquisadores Ricardo Gilson da Costa Silva (UNIR) e Francilene Sales da Conceição (UFOPA), publicado na revista Geographia (UFF).

Resumo

Na Amazônia brasileira o agronegócio da soja cristaliza os espaços da globalização, opondo o campesinato e as forças hegemônicas do capital. A produção familiar (campesinato) é pressionada pelos mecanismos coercitivos impostos pelas forças hegemônicas do capital, ancorado na modernização do espaço, através do agronegócio da soja. Este deve ser entendido como o processo multiescalar de conversão de áreas agrícolas em campo de expansão econômica do capital globalizado. Essa é a situação que atualmente se configura no sul do estado de Rondônia e no oeste do estado do Pará, notadamente nos municípios de Vilhena/RO, Santarém e Belterra/PA.

Palavras-chave: Geografia da Amazônia. Espaços da globalização. Campesinato. Agronegócio.

Referência:

COSTA SILVA, R. G; CONCEICAO, F. S. Agronegócio e campesinato na Amazônia brasileira: transformações geográficas em duas regiões nos estados de Rondônia e Pará.GEOGRAPHIA (UFF), v. 19, p. 54-72, 2017.

Link: http://www.geographia.uff.br/index.php/geographia/article/view/1008

Fonte: GTGA/UNIR

(Visited 55 times, 1 visits today)
 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

 

 
 
Translate »